03 Abr. 2024
Escritor: TomFelix
Revisor: AmazoniaLivre
Narrador: Leafar do Leafarverso
Produtor: Leafar do Leafarverso

O Marinheiro comunista que queria DERRUBAR a UNIÃO SOVIÉTICA

Valery Mikhailovich Sablin nasceu numa época verdadeiramente terrível, em Leningrado em primeiro de janeiro de 1939, tendo nascido como filho de um oficial da marinha soviética e vivido os primeiros anos de sua vida durante a segunda guerra mundial.

Tanto seu pai quanto seu avô tinham sido oficiais da marinha, então orgulhoso ele seguiu o mesmo destino. Tendo sido criado desde pequeno para louvar as ideias comunistas e cultivar seu “patriotismo soviético” em honra à mãe Russia.

O jovem Sablin entrou no Instituto Naval Frunze em 1955 e posteriormente serviu na Frota Soviética do Norte. Ele tinha uma visão extremamente puritana do comunismo e acreditava que não deveriam haver caminhos diversos. A revolução deveria ser única! Olha só, e eu achando que só os milicos positivistas aqui do Brasil é que eram quadrados.

Explicando melhor: ele acreditava que as reformas que a União Soviética vinha fazendo para sobreviver, faziam com que ela perdesse o ímpeto revolucionário e se distanciasse dos ideais que levaram Lenin às suas obras. Que foram quais mesmo?

Bem, tal como um socialista de Iphone hoje, ele achava que o comunismo deveria ser uma ideologia pura e imaculada! Qualquer outra versão ou discordância já não poderia ser considerada como comunismo verdadeiro. Ou seja, planejamento central é coisa do passado, o negócio mesmo é mugir em uníssono. Eu sinceramente não sei qual nível de psicopatia que o sujeito tem para pensar nesses termos. Nem as crianças conseguem concordar entre si em qual tipo de brincadeira vão fazer a cada momento, mas o milico quer que todo mundo, centenas de milhares de pessoas, pensem iguaizinhas e se você discorda, então você é um traidor da revolução: vai já pro paredão!

Toda essa fé cega fez com que seus professores elogiassem Sablin e o incentivassem cada vez mais. O jovem era extremamente ativo e, falando o que pensava, começava a se tornar algo temerário, já que a União Soviética era uma ditadura comandada a mão de ferro por Nikita Cruschev, que matava quem ele achasse minimamente perigoso ao seu status de poder.

Sablin inclusive reconhecia que os genocídios cometidos por Stalin fizeram com que a União Soviética fosse muito menos industrializada do que os Estados Unidos, além de denunciar a infestação de parasitas corruptos e burocratas no governo soviético.

Por mais inacreditável que pareça, ele criticou até a falta de democracia na União Soviética, já que em teoria, esse era um dos princípios iniciais do socialismo.

Toda aquela propaganda comunista de “salvar o país ou morrer tentando”, o alimentou durante sua vida e um dia cobraria seu preço, quando ele escreveu uma carta para Nikita Cruschev em 1959, aos 20 anos de idade. Na carta ele pedia para que Cruschev expurgasse os corruptos e outros impuros do partido comunista e tentasse restaurar a ideia do socialismo de Lênin. Surpreendentemente ele não foi severamente punido e apenas recebeu um puxão de orelha de seus superiores.

Agora, todo mundo achava que depois disso ele se aquietaria e tentaria agir de maneira mais polida e inteligente não é? Pois é, erraram!

Quer dizer, pelo menos por um tempo ele viveria calmamente. Tendo se formado em 1960, com uma esposa e um filho, Sablin também serviu em vários navios de guerra e ocupou alguns cargos de destaque, de nível oficial.

Sablin também foi capitão de um contratorpedeiro e ingressou para a Academia Política de Lenin, sendo considerado “um político nato” por um de seus colegas.

Mas é claro que um socialista de apartamento, sabe aquele jovem dinâmico, ideólogo comunista com camisa do Che Guevara. Esse pessoal nunca se aquieta. Essa gente parece querer morrer por alguma causa maior, seja lá qual for. Ai apareceu o comunismo, vai essa mesmo...

Ele via desacreditado no estado em que a União Soviética estava e pensava em como o comunismo deveria supostamente funcionar. Indignado pensava: “Como podia, todos serem iguais, mas um alto comandante, todo pomposo com linda vestimenta, viver melhor que eu?”.

Ou então, “Como poderiam todos serem iguais, se a polícia secreta soviética servia como uma ferramenta de opressão e não de libertação ao povo?”. É, até que ele não era ruim de lógica.

De maneira impressionante e deveras perigosa, ele até questionava sobre porque a União Soviética, que era supostamente superior aos Estados Unidos, não conseguia alcançar os números de produção e riqueza do ocidente e só decaiam cada vez mais?

Nenhuma ideologia pode desmentir a realidade não é mesmo? Nesse momento seria lógico pensar que após tudo isso ele perceberia as inúmeras falhas do comunismo e botaria fogo no seu quadro da foice e do martelo.

Mas não foi isso que aconteceu, depois de décadas de doutrinação, seu pensamento estava tão condicionado pela ideologia perversa do comunismo, que ele partiu para uma visão escatológica! Ao invés das forças armadas serem uma ferramenta do estado para impor o seu poder, o exército soviético deveria se tornar um regulamentador para a direção do estado. Em outras palavras: ele queria dar um golpe militar, mas como ele era comunista, precisava colocar outro nome mais bonitinho.

Já em 1973 Sablin se formou na Academia Política de Lenin e foi designado para o papel de manter os marinheiros de maneira ideologicamente alinhada, sendo quase um doutrinador oficial do partido dentro das forças armadas.

Por dois anos ele fomentou sem medo suas ideias de um comunismo puro aos membros da marinha, pois em teoria, na sua divisão a única pessoa se reportava à KGB, era ele mesmo.

Até que em 08 de Novembro de 1975 ele foi até a cidade de Riga para a data comemorativa da Revolução de Outubro. Acontece que Riga era um porto importante, a maior cidade soviética no mar báltico e a atual capital da Letônia. Naquele ponto de sua vida ele não ligou nem mesmo para o perigo de deixar sua esposa e filho para trás, pois tudo que importava era sua ideologia.

Sablin sabia que aquelas suas ideias só culminariam em uma coisa: sua morte ou o começo de uma terceira revolução russa. Dado que ele achava necessário uma nova revolução para salvar a Rússia comunista, pois apenas reformas tomariam tempo demais para funcionarem.

Sablin então naquela noite puxou um de seus homens de confiança e repassou seu plano a ele, que embora achasse tudo aquilo uma loucura, acabou aceitando participar.

O plano de Sablin era convencer a marinha a agir naquele dia. Deveriam tomar a frota soviética que se concentrava nos bálticos e ir até Leningrado, atual São Petersburgo.

Lá eles deveriam tomar a rádio e outros meios de comunicação para incitar a população de Moscou a derrubar os “falsos socialistas” do poder. Assim, seria criada uma nova união mais perfeita e justa, sem toda aquela propaganda para disfarçar a corrupção interna.

Isso sim que é um baita sonho com um plano completamente fora da realidade, megalomania é pouco para nosso pobre Sablin, mas fazer o quê né?! Com esses mestres onde você acha que o pobre chegaria?

Então ele e seus comparsas, aproveitando a ressaca de vodca que seus colegas curtiam, tomaram a fragata Storozhevoy, o maior navio da frota soviética, e prenderam o capitão Putorny na cabine, iniciando um discurso inflamado. As reações eram muito confusas porque era tudo tão repentino. Então os oficiais, que não se juntaram a revolução de Sablin, foram todos presos junto com o capitão.

Seu grupo então partiu rumo a Leningrado para continuar o plano, com Sablin sabendo que naquele momento estava apostando tudo e caso perdesse não teria como sair dessa. E, como era de imaginar, tudo isso acabou não dando certo.

Um dos oficiais que estava preso na Fragata acabou escapando e contatou o resto dos oficiais dali, que reportaram o plano de Sablin a Leningrado. O próprio, tendo percebido isso, acelerou mais ainda, enquanto a notícia chegava ao alto comando soviético, que ficou desesperado com esse ataque repentino.

O próprio líder Soviético da época, Leonid Brejnev, foi acordado no meio da madrugada de 09 de novembro de 1975 por oficiais preocupados, as quatro da manhã, ordenando então que a frota restante em Riga retomasse o controle da situação imediatamente!

Cerca de 10 aeronaves e 13 navios de combate perseguiram a tropa de Sablin pela manhã e dispararam tiros de advertência, sendo alertados por rádio para se renderem. Sablin obviamente se negou e começaram seu próprio combate armado, no qual um dos aviões soviéticos atingiu uma parte do navio e impossibilitou ele de continuar o deslocamento.

A tripulação percebeu enfim a loucura daquela situação e um dos tripulantes deixou o capitão Putorny escapar, que conseguiu atirar na perna de Sablin, antes que paraquedistas da KGB desembarcassem no navio e finalmente o tomassem de volta.

Todos que tinham se juntado a Sablin foram imediatamente presos e torturados. Os que sobreviveram tiveram suas vidas permanentemente destruídas pelo estado, enquanto que todo esse incidente foi reportado ao povo como uma tentativa de deserção ao ocidente por um grupo de marinheiros.

Após verem essa tentativa de revolta que surgiu de repente, os oficiais soviéticos começaram a evitar a difusão de ideias revolucionárias na caserna e a identificar loucos ideológicos que quisessem sua própria revolução. Sablin, por fim, foi interrogado ininterruptamente durante nove meses e depois levado a julgamento, onde foi condenado a morte pelo próprio Brejnev.

Em 03 de Agosto de 1976, ele foi colocado contra a parede e baleado na cabeça aos 37 anos de idade, com a família só sabendo de sua morte muitos meses depois de sua execução. Ele foi enterrado em uma cova anônima e em seus últimos dias escreveu uma carta para seu filho, que mostrava seu nível de devoção ideológica doentia:

“Confie no fato de que a história julgará os eventos honestamente e você nunca terá que ficar envergonhado pelo que seu pai fez. De forma alguma, jamais seja uma daquelas pessoas que criticam, mas não seguem com suas ações. Essas pessoas são hipócritas - pessoas fracas e sem valor, que não têm o poder de reconciliar suas crenças com suas ações. Desejo-lhe coragem, meu querido. Seja forte na crença de que a vida é maravilhosa. Seja positivo e acredite que a Revolução sempre vencerá”.

Em vez de seguir como uma pessoa comum, vivendo uma vida boa e relativamente fácil como funcionário público cuidando de sua esposa e filho, ele preferiu apostar tudo em uma tentativa louca de revolução, que nem sequer ficou conhecida pelo público comum. Esse é o resultado de quem se move pelos ideais socialistas.

Esse pessoal sempre está a procura do “verdadeiro e mais puro socialismo", de “uma sociedade justa e perfeita”, não importa quantas pessoas tenham que morrer pra isso e se é que isso existe. Por trás da máscara altruísta de Sablin, havia o mesmo ser humano de sempre: egoísta e cheio de erros. Por isso, ninguém deve se meter achando que sabe o que é melhor para a vida dos outros.

Apesar de talvez Sablin estar certo sobre o começo de sua carta, estava redondamente equivocado sobre seus métodos e sobre sua solução final. O comunismo é uma ideologia anti-humana que produz o mesmo resultado quantas vezes for tentado. A história sempre julgará os eventos de genocídio e miséria cometidos pelos sistemas socialistas, não importa quantas vezes tentem reescrever ou apagar seu próprio histórico.

E para continuar nesse assunto, veja agora o vídeo “QUEM eram os 'INIMIGOS DOS POVO' na União Soviética?”, o link segue na descrição.

Referências:

QUEM eram os 'INIMIGOS DOS POVO' na União Soviética? https://www.youtube.com/watch?v=Bh4PNcC3-8k Valery Sablin: Lenin Lives! *stomp stomp* https://www.youtube.com/watch?v=LMCaQtZ-1Yc&list=WL&index=18 https://www.marxismo.org.br/em-memoria-de-valery-sablin-a-verdadeira-historia-do-outubro-vermelho/ https://pt.wikipedia.org/wiki/Valery_Sablin

ANCAP.SU

Canal de notícias rápidas com viés libertário, bate papo, vlogs e outros assuntos ligados ao libertarianismo e anarcocapitalismo. Seja bem-vindo.

Nossas Redes Sociais

Visão Libertária. Desenvolvido por KoreacomK e a comunidade.