02 Abr. 2024
Escritor: Invest Bear
Revisor: Paulo Wesley
Narrador: Paulo Wesley
Produtor: Paulo Wesley

Será que o ANCAPISTÃO se iniciará pelas mãos dos professores?

Sempre que discussões surgem a respeito do Ancapistão os interlocutores dos debates associam que essa realidade será trazida por (digamos assim) “profetas ancaps”. Ou seja, por aqueles indivíduos que defendem e divulgam abertamente essa proposta de uma sociedade sem governos, ou com governos insignificantemente pequenos e sem força, regidas por leis privadas e normativas sociais que estabelecem o claro direito e respeito à propriedade privada, à liberdade individual e aos direitos jusnaturalistas.

Realidade na qual não existirá mais a opressão estatal e nem a obrigação imposta pelo governo de se pagar impostos sobre tudo o que se produz e/ou comercializa, como vivemos na realidade de hoje. Onde os recursos dos impostos são normalmente destinados a duas grandes finalidades: a 1° é a de sustentar uma massa parasitária de funcionários públicos que, em muitos casos, não devolvem absolutamente nada de valor para a sociedade, principalmente para os mesmos cidadãos que pagam os salários deles; e 2° para alimentar a corrupção estatal onde os políticos e os funças de alto escalão fazem negociatas para dividir o que tem nos cofres públicos entre os amiguinhos da elite socialista.

Vale a pena lembrar também que muitos desses funcionários públicos e dos políticos se consideram como uma classe nobre da sociedade, julgando ser superiores ao povo que os sustenta, esquecendo que os verdadeiros patrões deles são os cidadãos trabalhadores e produtivos que são obrigados a pagar o “arrego” ao Leviatã.

Porém, o que se argumenta nesse artigo é que essa nova realidade do Ancapistão poderá ser trazida à realidade pelos professores e não pelos ancaps. Fazemos essa colocação pois é isso que o Projeto de Lei n° 3018 de 2021 de autoria do Senador Sérgio Petecão (PSD/AC) pode proporcionar, ou seja, a proposta do referido senador muda a lei n° 7.713 de 22 de dezembro de 1988 que define quem tem e quem não tem isenção do IRPF, incluindo no corpo desta última uma cláusula de isenção adicional S-O-M-E-N-T-E para a categoria dos professores em efetivo exercício nas redes de educação infantil, fundamental, média e superior.

O texto do PL indica que essa isenção de taxas do IRPF irá “solucionar o problema educacional brasileiro através desse mecanismo de incentivo à adesão ao magistério”, ou seja, pela senil idéia do ilustre Senador PETECÃO é a carga tributária que inibe mais pessoas quererem entrar para o magistério nas redes públicas e privadas para se dedicarem à instrução dos jovens.

Obviamente que nesse ponto já podemos fazer uma reflexão, para o senador questões relacionadas ao salário em si, ou à insegurança atual em grande parte das escolas – principalmente as da rede pública –, ou o descaso com as salas de aulas e com a falta de material de suporte de ensino adequados, são completamente irrelevantes para incentivar mais pessoas a se tornarem professores. É somente a carga tributária que resolveria o problema…. hum, sei…

Mas deixando essa análise secundária de lado, podemos ver com bons olhos essa proposta de mudança de lei que, na consulta pública feita pelo Senado obteve 345 mil votos favoráveis e apenas 7.800 desfavoráveis. A PL ainda não foi aprovada e por motivos não esclarecidos foi retirada da pauta de votação, porém ela ainda não foi completamente descartada e ainda pode passar e ser implantada oficialmente.

Essa PL seria um passo importantíssimo no caminho que temos para trilhar rumo ao Ancapistão. Com a aprovação dessa proposta seria oficializada a isenção do IRPF sobre o salário de todos os professores do país, o que já reduziria bastante as arrecadações que vão parar anualmente na barriga do Leviatã, iniciando um fabuloso processo de implosão financeira do governo.

Porém, pensemos no futuro, com essa PL aprovada seria possível exigir a equiparação do mesmo benefício a T-O-D-A-S as demais profissões. Ou seja, seria possível requerer que, por similaridade e igualdade de direitos, toda e qualquer profissão fosse isentada do pagamento do ilegítimo IRPF. Gerando, assim, uma extraordinária redução na arrecadação de impostos e consequentemente maior mutilação financeira do Leviatã, impulsionando o governo manco e capenga a se jogar no abismo.

Obviamente que o Leviatã iria tentar se manter criando e aumentando outras taxas de impostos sobre os malvadões capitalistas, forçando os trabalhadores e verdadeiros geradores de riqueza a continuarem a sustentar a massa parasitária de funcionários públicos. Isso não seria nenhuma surpresa, PORÉM com esse processo de isenção de IRPF, muitos cidadãos produtivos iriam começar a acordar e ver o quão inútil é pagar impostos, o quanto eles mesmos poderiam usufruir daquilo que pagam ao governo. Arrisco dizer que até os professores socialistas e comunistas já vêem isso, afinal de contas, essa proposta está sendo feita por um senador do PSD – Partido Social Democrático – indicando que os mesmos professores que defendem o socialismo e o comunismo – tipo de governo que sobrevive à base dos impostos – não querem mais pagar o suborno ao Leviatã.

Mas fica a pergunta: será que todos os professores do “AMOR VENCEU” irão aplaudir essa proposta? Como será que viverão sabendo que não estão mais contribuindo para um “mundinho perfeito” socialista/comunista onde todos serão escravos do onipotente governo, vestindo a mesma roupa e comendo insetos?

Como se sentirão aqueles pseudoprofessores, que na verdade são doutrinadores alienados e fanatizados mais preocupados em doutrinar os pequenos jovens com suas ideologias hipócritas e sem sentido? Como ficará o sentimento deles, já que nessas últimas décadas bombardearam a mente dos jovens com idéias fantasiosas de um mundo comunista maravilhoso vestindo a camisa do “Tché” – ou de partidos de esquerda – mas portando seus celulares iPhones, usando os seus tênis Nike, suas calças Calvin Klein, que são exemplos de produtos do terrível mundo capitalista?

Como será que ficará a massa encefálica já distorcida desses indivíduos que cobiçam tanto esses produtinhos produzidos pelos terríveis capitalistas, mas que ao mesmo tempo declaram publicamente a sua admiração e dedicação exclusiva para a construção de um governo cada vez mais ditatorial e desigual como o Cubano ou o Venezuelano. Como é que eles se sentirão traindo as crenças que tanto propagam ao não pagarem mais impostos sobre os seus salários para sustentarem o Leviatã?

Seguramente eles irão solicitar ao governo boletos para pagarem a sua parte na sustentação do sistema que eles defendem, certo? Sinceramente isso não irá acontecer, pois a hipocrisia desses pseudoprofessores é muito grande, irão alegar (obviamente) que quem tem que pagar impostos para sustentar o terrível sistema social que eles tanto defendem é quem tem dinheiro, não eles. Afinal de contas, eles precisam deixar de sustentar o leviatã deles para comprarem coisas terríveis que são desenvolvidas, produzidas e comercializadas pelos gananciosos capitalistas.

Mas essa hipocrisia não se aplica apenas aos professores, mas sim a todos as pessoas que ainda vivem na ilusão do comunismo ou do socialismo, que já se demonstrou, por várias vezes, não funcionar como modelo de sociedade e nem governamental. Porém, como a humanidade tem memória curta, os manipuladores gananciosos sempre conseguem ludibriar as mentes dos idealistas para voltarem a acreditar e a caírem nessa falácia dizendo: “Distorceram Marx”.

De qualquer forma, existe uma boa notícia também para esses professores e profissionais que tanto amam e defendem esses tipos de regimes ditatoriais. No Ancapistão será possível criar todo e qualquer conjunto de leis, inclusive um conjunto regido pelos conceitos socialistas e/ou comunistas, onde quem acreditar nessa falácia poderá se associar voluntariamente à essas leis e pelas quais será regido, ou seja, quem acredita que “fazer o L” é bom, poderá fazê-lo sem levar outros indivíduos para o fundo do poço junto com eles. Poderão viver segundo as suas crenças e poderão pagar alegremente as esmolas ao Leviatã deles para receber nada em troca por isso.

Ao mesmo tempo, as pessoas que não acreditam nessa falácia sócio-comunista poderão escolher as melhores propostas de organização social que lhes convier, poderão optar por uma proposta progressista, ou puramente capitalista, ou puramente anarco-capitalista, e assim por diante.

O melhor nessa situação é que as pessoas irão parar de discutir sobre opiniões e aspirações pessoais, o que nunca gera uma convivência pacífica na sociedade, e passarão a conviver harmoniosamente em conjunto onde cada um seguirá a estrada que melhor lhe convier na sua vida. Será o famoso “cada um no seu quadrado”!

No Ancapistão os pais realmente preocupados com o futuro dos seus filhos terão a liberdade de escolher como querem educar os seus filhos. Poderão optar por um sistema de “home schooling”, ou pela contratação de professores particulares escolhidos segundo as suas próprias visões de vida. Poderão pagar escolas particulares que promovam os mesmos conceitos e valores que eles acreditam como sendo corretos como, por exemplo, conceitos religiosos, espirituais, capitalistas, ou ainda poderão optar por colocarem os seus filhos em escolas públicas (se houverem) abertas pelos seus governos particulares.

Fazemos a alusão da existência ou não de escolas públicas, pois acreditamos que elas serão formadas por algumas das organizações sociais de leis privadas que terão como premissas os conceitos básicos do socialismo ou do comunismo. Mas, conforme a história nos ensina, esses núcleos de ensino não devem sobreviver com o passar do tempo. Porém, isso é uma pura especulação com base na história humana, pode ser que sobrevivam através da doutrinação e fanatização massiva de seus integrantes optantes por seus regimes. No entanto, o que se imagina é que nem o “governo privado socialista/comunista”, nem suas estruturas e nem as suas escolas durarão por muito tempo, pois esses só conseguem viver o quanto dura o dinheiro roubado dos outros, já que nunca são capazes de produzirem riquezas por eles próprios.

Enfim, todos os indivíduos estarão livres para optarem pela melhor formação de seus filhos segundo as suas próprias crenças e visões, não sendo forçados a aceitar doutrinas ou conceitos nefastos e desatualizados, como vemos hoje em dia.

Por isso, esperamos que o Senador Petecão e todos os professores tenham sucesso nessa empreitada, que consigam a aprovação dessa PL e que a partir dela todo o processo rumo ao Ancapistão se inicie.

Referências:

https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/149624 https://www.cartacapital.com.br/educacao/em-mensagem-a-professores-lula-diz-que-luta-para-consertar-estragos-de-bolsonaro-na-educacao/ https://www.poder360.com.br/governo/lula-diz-que-aumentara-salario-de-professores-ao-recuperar-a-economia/ ATT: Tentei carregar a seguinte imagem livre de direitos autorais no sistema, mas o mesmo recusa dizendo "que não é uma imagem": https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a1/Senado_iluminado_com_a_cor_laranja_%2839394286624%29.jpg

ANCAP.SU

Canal de notícias rápidas com viés libertário, bate papo, vlogs e outros assuntos ligados ao libertarianismo e anarcocapitalismo. Seja bem-vindo.

Nossas Redes Sociais

Visão Libertária. Desenvolvido por KoreacomK e a comunidade.